11/09/2014

Resenha | Outlander, A Viajante Do Tempo - Diana Cadaldon

Outlander, A Viajante Do Tempo

Diana Cabaldon
Editora Saída de Emergência

Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?


Viagem no tempo, aventura, história, amor ... A série Outlander por Diana Gabaldon é uma história épica sobre uma enfermeira do exército britânico da Segunda Guerra Mundial que pisa acidentalmente numa antiga pedra e de repente ela encontra-se presa em 1743... na Escócia.

La é raptada por um bando de escoceses, onde é levá-la para a fortaleza do clã MacKenzie. Incapaz de escapar, Claire se adapta à sua nova vida no Castelo Leoch e começa uma amizade com um homem, Jamie Fraser, que, à sua maneira, também está preso em um lugar que ele não quer estar. A relação deles muda quando Claire está em perigo de se tornar um prisioneiro de um soldado Inglês que acredita que ela seja uma espiã.

Ela é forçada a casar com Jamie, a fim de se proteger. Não tendo nenhum desejo de se casar com Jamie, porque ela já tem um marido de volta em 1945, a quem ela ama, porém Claire encontra-se apaixonandapor este encantador Highlander. Embora ela ainda deseja voltar para seu primeiro marido, Frank, ela não quer machucar Jamie por abandoná-lo.

Eu achei esta série foi bastante refrescante depois de mergulhar em um monte de romances YA. Não me interpretem mal, eu até gosto de Jogos Vorazes e Divergente, etc e eu adoro que os personagens principais mulheres sejam fortes e jovens que estão tentando fazer a diferença e fazer o que é certo, mas eles também são adolescentes delicados que não sabem quem são ainda. Embora eu possa relacionar com este "busca" de si mesmo, foi bom ver uma personagem feminina forte e confiante que sabe quem ela é e o que ela pretende fazer no mundo, especialmente em um mundo que ela não nasceu para viver.

Particulamente não gosto de livros de aventuras, sou mais fã dos livros policias, porém este livro me caiu muito bem,
 desde o início da história, da pra ver que a Claire tem um caráter dominante que detém a sua própria vontade. Ela é removida de sua casa e jogada de volta 200 anos atrás, mas ela ainda continua a ser ela mesma. Ser mulher no século XVII não foi fácil, em geral; ser uma mulher independente do século XX, no século XVII não é nada fácil. Claire se esforça constantemente com as pessoas da época que não entendem o seu comportamento estranho, de uma pessoa do século XVII. Mas ela segura firmemente a suas crenças e costumes e tenta usar o que sabe para ajudar as pessoas que conhece.



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2016 Meu Livro Preferido
| Distributed By Gooyaabi Templates