02/10/2015

O Dia Em Que Sherlock Holmes Morreu - Artur Conan Doyle | Resenha

O Dia Em Que Sherlock Holmes Morreu - "O Problema Final" e Outras Histórias 

 Artur Conan Doyle
Editora Tordesilhas

Os 17 contos desta edição de luxo, ilustrada, contemplam todas as fases da carreira de Holmes – da descoberta de seus dons, nos tempos de faculdade, até a aposentadoria. O leitor encontrará aqui a ironia, o tédio, a desilusão, a cocaína, o senso de humor, os disfarces, o elementar Watson, Mycroft, Irene Adler e, naturalmente, o professor Moriarty, o maior entre todos os inimigos, contra o qual Holmes trava a luta decisiva que inspirou o título deste volume.





Eu, como a maioria das pessoas, já conhecia a fama de Sherlock Holmes e seus casos impossíveis desvendados com pistas inusitadas e disfarces inacreditável, tanto que aquando criança, eu acreditava fielmente que ele era uma pessoa real. Claro que depois de muito tempo, eu percebi que ele era o personagem literário mais icônico de todos os tempos, ao ponto de ganhar uma estatua em sua homenagem e uma nota no jornal local de Londres quando ele faleceu e varias pessoas na época usaram a braçadeira de luto por ele.
Isso só prova a importância que Sir Arthur e seu personagem tiveram na historia da literatura. 
O livro nada mais é que uma seleção com dezessete pequenos contos, todos narrados das historias particulares guardadas pelo assistente de Holmes, John Watson, relembrando momentos únicos dos dias de gloria de seu grande amigo e também os casos que mais o surpreenderam pelo intelecto impressionante de Holmes para resolver eles. 

Sherlock Holmes é um homem de inteligencia incrível, uma intuição aguçada, uma percepção fora do normal, um senso de humor irônico e hora totalmente alteado pelo vicio em cocaína, ele é um personagem complexo e muito bem feito, que se torna único em cada detalhe. Resolvendo casos de maneira impressionante, usando nada mais que pura intuição de percepção de coisas que passam aos nossos olhos mas não aos dele, casa pagina é um misto de mistério e também onde o elementar parece saltar de cada linha.
Temos momentos em que Holmes desvenda mistérios de anos usando apenas cinco sementes de laranja, disfarces ridículos, organizações onde só podem ser aceitos ruivos, e tudo isso sempre sendo assessorado por seu amigo e medico John Watson, que muitas veze acaba sendo meio que a babá de Holmes também, quando as coisas fogem do controle.

"- Em geral - Holmes disse -, quanto mais estranho é a coisa, menos misteriosa ela se prova. São os crimes comuns que realmente intrigam, assim como os rostos comuns são os mais difíceis de identificar."

Mesmo nos contos onde temos apenas cinco paginas, temos historias onde parece que Holmes e Watson estão de verdade entrando em problemas muito maiores do que são capazes de resolver, mas graças as reviravoltas muito bem escritas, eu só consegui largar o livro quando ele enfim acabou.
Um toque muito especial também, são as ilustrações únicas feitas especialmente por João Pirolla, que dão um charme muito especial ao livro e também vida a cada conto, todos eles coma quele ar sombrio que ilustra bem Londres do tempo de Sherlock.


É uma leitura que agora eu passo a recomenda a todo mundo e espero poder encontrar com Holmes e o sempre elementar Watson em breve novamente, já que eles tem tantos outros mistérios a serem resolvidos.





Veja também a resenha da Ligia no blog dela http://chacombolacha.blogspot.com.br/2015/10/o-dia-em-que-sherlock-holmes-morreu-o.html
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2016 Meu Livro Preferido
| Distributed By Gooyaabi Templates