01/03/2017

Resenha | A Maldição do Vencedor, Trilogia do Vencedor Livro 1 - Marie Rutkoski



Titulo Original: The Winner 's Curse
Autora: Marie Rutkoski
Editora: Plataforma 21


"Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásti\cas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?"


Uhnn, eu tenho que dizer que fui com muitas expectativas na leitura e digamos que lá pela metade do livro minha vontade de continuar ele foi murchando até que finalmente morreu e eu, apesar de ter terminado não senti grandes emoções com ele não.
E olha que eu pesquisei sobre ele e a maioria das pessoas adorou ele, eu senti que fiquei deslocada da panelinha dele, infelizmente.
Apesar dos momentos realmente intrigantes durante a leitura, eu deixei ele parado em diversos momentos porque certas artes são extremamente cansativas e isso acabou desgastando um pouco a leitura.
Com um cenário muito bem montado, porem com personagens que não parecem terem sido estruturados na história, tinha tudo para ser um livro impecável, mas deixou algumas coisas a desejar.

Kestrel tem uma importante decisão para tomar, ou ela se torna um membro do exército como sonha seu Pai, ou então deve se casar e se tornar alguém dedicada à sua família. Estão as únicas opções que parecem ser possíveis em seu reino e ela ainda não sabe o que fazer. 
Eu tive muitos problemas em gostar da Kestrel, porque de início ela realmente parece uma mulher forte e muito bem decidida sobre seu destino, mas ao mesmo tempo ela passa muito tempo pensando em sua imagem e reputação e em vários momentos ela se torna uma protagonista tediosa que parece totalmente alheia ao que acontece a sua volta. E aparentemente, a única coisa que ela realmente presa e fica animada é quando ela pode tocar piano.

Aliás, falando do piano, uma das coisas que eu gostei neste livro é a maneira como a música é usada para fazer uma separação entre a nobreza e os escravos, já que a música é algo tratado como uma coisa quase que sagrada e os escravos se tornam indignas dela.  

"A felicidade depende de ser livre, e a liberdade depende de ter coragem."


Arin foi comprado por Kestrel em um dos leiloes de escravos após ela ter tomado uma decisão impulsiva e a verdade é que após a compra, ela não fazia a menor ideia do que de verdade fazer com o seu mais novo e belo escravo. Ela também não faz a menor ideia de quem ele é, mas não demora muito ela começa a perceber que ele não é um escravo comum. 
Com uma belíssima voz para o canto e um conhecimento que vai além do esperado, ele possui um passado misterioso e principalmente, ele carrega lembranças muito fortes sobre seu passado e segredos muito além do esperado.

É claro que não demora muito, a atração entre os dois surgem, mas os segredos e mentiras são um problema e eles tem que tomar decisões importantes antes de realmente ficarem juntos.

Tenho que dizer que a partir deste ponto, as coisas ficam meio clichês. Cheio de atitudes impensadas, sacrifícios que não eram precisos e um romance sem muita estrutura, o livro pecou muito nesta parte, e apesar de ter um público alvo bem definido, ele acabou não me cativando em nada e eu terminei ele sem vontade alguma de saber o que acontece nas continuações. 
O que é uma pena, porque a escrita da autora em alguns momentos é realmente poética, mas a emoção acaba aí.











Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2016 Meu Livro Preferido
| Distributed By Gooyaabi Templates