25/04/2017

Resenha | A Insustentável Leveza Do Ser - Milan Kundera

Milan Kundera
Companhia das Letras
Neste que é sem dúvida um dos romances mais importantes do século XX, ficção e filosofia se entrelaçam por meio da história de quatro adultos capazes de quase tudo para vivenciar o erotismo que desejam para si. Como limite, encontram um tempo histórico politicamente opressivo e o caráter enigmático da existência humana. Infidelidade, amor, compaixão, eterno retorno, acaso e arbítrio são alguns dos grandes temas que Kundera articula num romance de ideias e paixões, em que o leitor percorre conceitos filosóficos de braços dados com cada um dos personagens — Tereza, Tomas, Sabina e Franz — e acompanha suas histórias de vida com a profundidade de um estudo. O resultado é uma obra em tudo original, um clássico da literatura contemporânea.




“Por força de suas escolhas ou por interferência do acaso, cada um deles experimenta, à sua maneira, o peso insustentável que baliza a vida, esse permanente exercício de reconhecer a opressão e de tentar amenizá-la.”


Um clássico literário moderno publicado pela primeira vez em 1984, A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera, acompanha as vidas de quatro pessoas que vivem em Praga em 1968, durante a invasão da Checoslováquia pela Rússia. Considerado por muitos como o melhor romance de Kundera.

A Insustentável Leveza do Ser lida com a luta dos quatro personagens principais: Tomas, Teresa, Sabina e Franz, ao lidar com a "leveza" e o "peso" de suas emoções e as consequências de suas ações. Narrado por um personagem anônimo que observa a vida dos protagonistas, seguimos esses personagens que lutam com o amor, o destino e o significado da vida.

O personagem principal é Tomas, um cirurgião talentoso que se torna uma vítima política do regime checo e é forçado a se tornar um lavador de janelas. Tomas está dividido entre amor e luxúria, peso e luz, intelecto e emoção. No início do romance, Tomas conhece Tereza, e eles se apaixonam. Tereza se move com Tomas, mesmo sendo incapaz de ser fiel a uma mulher. Ele é um homem que "tentou projetar sua vida de tal maneira que nenhuma mulher pudesse se mudar com uma mala".

Tereza não é "nem amante nem esposa" no início do romance. Tereza é o oposto da amante da liberdade de Tomas, Sabina.

Tomas eventualmente se casa com Tereza, mas continua tendo relações com outras mulheres. Tereza é atormentada por sua infidelidade e tem pesadelos que ela está sendo forçada a ficar em um canto enquanto Tomas faz amor com Sabina.

Cena do filme, Tereza e Tomas.

Sabina é uma artista e também uma das amantes de Tomás de longa data. Durante a invasão, ela escapa para Genebra, onde mais tarde começa um caso com Franz, um professor idealista. Sua vida gira em torno de livros (me identifiquei), e infelizmente é casado. Sabina admite a si mesma que tem quase um fetiche, uma insaciável luxúria, por trair todo mundo e tudo, apesar de sua liberdade sexual, luta com seu passado puritano.

Enquanto muitas pessoas se sentem sobrecarregadas pelo peso das preocupações e ações, Sabina apresenta uma anomalia e é sobrecarregado pelo sentimento de leveza incrível.

Seu drama era um drama não de peso, mas de leveza. O que caiu sobre ela não foi o fardo, mas a insuportável leveza do ser.

É uma leitura apaixonante. Está resenha não abrange todos os aspectos da história - as camadas de amor e sexo, abuso, filosofia, metafísica, sociedade e seus problemas.

A Insustentável Leveza do Ser não é guiada pelo enredo, mas pela incrível riqueza da vida interior dos personagens principais. Em parte filosófica e em parte da poesia, o trabalho de Kundera é um tesouro destinado a ser lido repetidamente.





Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2016 Meu Livro Preferido
| Distributed By Gooyaabi Templates